domingo, 2 de outubro de 2011

Veteranas, Fernanda Venturini e Valeskinha inspiram a moçada da Unilever


Mara: bons conselhos de Fernanda e Valeskinha | Fernando Soutello/adorofoto

A mistura de gerações é positiva: as mais novas recebem dicas de quem tem história em quadra e as mais velhas se divertem ajudando a aprimorar a técnica das companheiras

Rio de Janeiro - Quando a levantadora Fernanda Venturini disputou sua primeira Olimpíada, em 1988, em Seul, Natália, Roberta, Mara, Juju e Ana Carolina, hoje suas companheiras na equipe Unilever, ainda nem haviam nascido. Fernanda, de 40 anos, e a meio-de-rede Valeskinha, de 35, são as jogadoras mais experientes do time carioca. O resultado dessa saudável mistura de gerações traz benefícios para ambos os lados. Enquanto as mais novas recebem importantes dicas de quem já tem uma história de sucesso em quadra, as mais velhas se divertem e também levam lições valiosas para casa.

Dona de três títulos nacionais conquistados com a Unilever nas temporadas 1997/98, 1999/00 e 2005/06, Fernanda está feliz por ter aceitado o desafio de voltar a jogar na temporada 2011/12. "Está sendo uma delícia. Vou contando minhas experiências, dando alguns toques. Essas jogadoras mais novas estão na fase do aprimoramento da técnica. Tenho facilidade de ler as jogadas, sei quem tem dificuldade no tempo de bola. De alguma forma, espero estar contribuindo para o crescimento delas", comenta Fernanda, que já conhece um pouco cada uma das novas companheiras.

"O papo é muito engraçado e todas têm características bem marcantes. Para mim, a Mara e a Régis são as mais engraçadas. Amandinha é uma lady. Valeskinha, com quem já joguei muito e tenho um bom entrosamento, é sempre brincalhona... O bom no grupo é que ninguém faz corpo mole na hora dos treinos", elogia a levantadora.

A meio-de-rede Mara, de 20 anos, caçula do time, conta que Fernanda não perdoa e pede mesmo para "acelerar mais o braço". Para ela, é uma honra jogar ao lado da "melhor levantadora do Brasil de todos os tempos". Segundo Mara, os conselhos de Fernanda e Valeskinha, que também é meio-de-rede, têm ajudado em seu desenvolvimento técnico. Quanto ao fato de ser considerada uma das mais engraçadas do grupo, responde: "Fazer o quê? Sou assim mesmo, espontânea", diz Mara. "É uma ironia do destino. Nunca tive oportunidade de ver a Fernanda jogar e agora sou sua companheira de time."

A levantadora Roberta, de 21 anos, reserva de Fernanda, conheceu tanto Fernanda quanto a campeã olímpica Valeskinha aos 8 anos, quando começou no projeto Esporte Cidadão, em Curitiba, em 1998. Na época, ambas defendiam a Unilever, então chamada de Rexona. "Lembro de que ficava deslumbrada de vê-las jogando. Sem dúvida, foram o meu espelho. Agora estou aqui, aprendendo com elas. Sonhei e consegui chegar lá", orgulha-se.

Para os assistentes-técnicos Helio Griner e Ricardo Tabach, que comandam o time na ausência do técnico Bernardinho (na seleção brasileira masculina), é importante haver esse equilíbrio entre jogadoras mais novas e atletas experientes. "Isso traz uma grande motivação. Muitas iniciantes tinham a Fernanda e a Valeskinha como exemplo, como ídolos. Hoje, estão juntas em uma equipe de ponta. É a inspiração e a realização caminhando juntas", ressalta Tabach.

Mais informações em www.unilevervolei.com.br

via Local
--
FarolCom | Coletivo de Imprensa
rede web de informação e cultura