segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Na prorrogação, UnoChapecó vence Unesc e conquista o tri

Mesmo jogando na casa do adversário, a UnoChapecó/NTozzo/Female (SC) conquistou na manhã deste domingo (30/10) o tricampeonato da Taça Brasil Correios de futsal feminino - Divisão Especial. Em um clássico bastante disputado, as visitantes levaram a melhor e venceram pel o placar de 4 a 2 (2 a 0 na prorrogação), conquistando assim o título da vigésima edição da competição. O Nacional Gás/Unifor (CE) ficou em 3º lugar.

Diante de tamanha rivalidade, o começo de jogo foi de respeito e de muita marcação por parte das duas equipes. Mais solto em quadra, o elenco chapecoense levou mais perigo antes do intervalo. Aos 10min, após ataque pela ala direita, Tampa recebeu pelo meio e só teve o trabalho de escorar para o fundo da rede criciumense ? 1 a 0.

Em busca do empate, a Unesc se lançou com tudo ao ataque, mas acabou esbarrando na manhã inspirada da goleira Giga, que praticou no mínimo três defesas decisivas antes do intervalo. De tanto pressionar, as locais deixaram tudo igual com Ari, que concluiu com maestria e finalmente empatou aos 19min.

O segundo período foi de correria, com ambos os times buscando o segundo tento a qualquer custo. Empurrado por sua torcida, o clube da casa cresceu no confronto, mas desta vez quem deixou sua marca foi a camisa 10 Jéssika, aos 36min38, um golaço, no ângulo. Em seguida, já com a capitã Taty na função de goleira linha, a Unesc voltou a empatar, novamente com Ari - 2 a 2, resultado que levou o duelo para a prorrogação.

No tempo extra, depois de o placar não alterar nos primeiros cinco minutos, Jéssika, o principal nome da final, chutou de bico e novamente acertou o ângulo da guarda meta Missi. Restando três segundos para o apito final, Vanessa, numa cobrança da marca dos dez metros, fez o quarto e fechou a contagem ? 4 a 2 (2 a 0 na prorrogação).

"Das nossas últimas finais essa foi a mais equilibrada. Tivemos algumas falhas de marcação na decisão, mas também enfrentamos um adversário qualificado e que certamente teve seus méritos na partida. Tivemos tranquilidade e isso fez toda diferença", declarou o técnico chapecoense, Eder Popiolski.

Jéssika, destaque individual do duelo deste domingo, falou durante a comemoração. "O Eder pediu para nós arriscarmos de longa distância e eu fui feliz nas finalizações. Estou muito feliz por mais essa conquista e felizmente deu tudo certo para nossa equipe".

Técnicos da seleção brasileira acompanham finais em SC
Criciúma (SC) - Vander Iacovino e Marcos Sorato, técnicos da seleção brasileira feminina e masculina, respectivamente, acompanharam as finais da 20ª Taça Brasil Correios de futsal feminino (Divisão Especial) direto de Criciúma, interior de Santa Catarina, terra natal de Sorato.

Depois de assistirem os jogos semifinais no sábado (29/10), a dupla mais uma vez compareceu ao ginásio da Unesc no domingo pela manhã, quando o time da casa enfrentou a rival UnoChapecó na disputa pelo título e perdeu pelo placar de 4 a 2 (2 a 0 na prorrogação). O Nacional Gás/Unifor, do Ceará, ficou com a terceira colocação.

"Foi uma final equilibrada, onde a Unesc se portou muito bem em quadra e mostrou qualidades, principalmente na marcação. No fim prevaleceu a força e o individualismo do time de Chapecó, que conta com jogadoras de altíssimo nível, que souberam decidir no momento certo. Conhecemos grande parte das atletas que aqui estiveram e as equipes eu creio que Chapecó, Unesc e Unifor provaram que estão acima das demais", comentou o treinador da seleção nacional feminina.

Técnico do selecionado feminino até 2008, Marcos Sorato, hoje comandante do grupo masculino adulto (hexacampeão mundial e que tentará o hepta no próximo ano, na Tailândia), também falou sobre o tricampeonato conquistado pela equipe dirigida por Popiolski.

"A evolução do futsal feminino brasileiro é notória e muito disso se deve ao trabalho que vem sendo realizado pela UnoChapecó e também pela própria Unesc. Quem compareceu ao ginásio hoje presenciou uma partida emocionante, bem jogada e que se tivesse sido transmitida para todo o país certamente teria agradado a todos", ressaltou Sorato, que há uma semana atrás conquistou o título do Grand Prix de futsal em Manaus (AM).

II Torneio Mundial feminino
Após conquistar o I Torneio Mundial feminino, na Espanha, a seleção brasileira comandada por Iacovino já está de olho na segunda edição da disputa, programada para o início do mês de dezembro, no Brasil.

Recentemente, agora mesmo em outubro, as brasileiras garantiram o tetracampeonato Sul-Americano na Venezuela. Na ocasião, o escrete nacional conquistou todas as premiações possíveis: título, Fair Play, artilharia (Lú - 12 gols), melhor jogadora (Vanessa) e defesa menos vazada (apenas quatro gols sofridos em cinco jogos disputados).

"A cidade que sediará o II Torneio Mundial ainda não está 100% confirmada, mas nós iremos iniciar nossa preparação no fim do mês de novembro. As expectativas são as melhores possíveis e o grupo está praticamente fechado", concluiu Vander, que foi o responsável pela a entrega do troféu de campeão a UnoChapecó.

Artilharia e Fair Play também ficam com a UnoChapecó
Criciúma (SC) - A ala Vanessa, que já foi eleita a melhor jogadora de futsal do mundo, acaba de conquistar mais um feito: o de artilheira da 20ª Taça Brasil Correios da modalidade - Divisão Especial. Com onze gols, o último deles na prorrogação diante da Unesc/FME, a camisa 7 da tricampeã UnoChapecó/NTozzo/Female (SC) não deu chances as suas concorrentes.

"Eu volto a repetir: ninguém é artilheira sozinha, então eu dedico esse prêmio individual as minhas companheiras, que mais uma vez jogaram muito e me ajudaram a conquistar esse feito. Em relação ao jogo de hoje, nós movimentamos bastante e tivemos paciência, principalmente a partir do segundo tempo, isso foi fundamental e fez toda diferença", analisou Vanessa, que na primeira quinzena do mês de outubro também foi campeã Sul-Americana na Venezuela, com a seleção brasileira. Na ocasião, a ala recebeu o prêmio de melhor atleta do campeonato.

Satisfeita com o título invicto em Criciúma, Vanessa, que em 2009 também foi a goleadora da Taça Brasil adulta (no ano passado a pivô Cely, da UnoChapecó, garantiu a artilharia), aproveitou para elogiar a atuação da camisa 10 Jéssika (autora de dois gols na decisão), sua colega de clube e de seleção.

"A Jéssika é uma excelente jogadora e todas nós conhecemos o seu potencial. Ela arriscou e mereceu ter feito os dois gols, ambos no ângulo. Nós até brincamos com ela após a final, já que ela acertou duas corujas neste domingo", brincou a artilheira.

Campeão disciplinado
Se não bastasse a conquista do tri e a artilharia, o elenco comandado pelo competente técnico Eder Popiolski provou mais uma vez que um time campeão também pode e deve ser disciplinado. Nesse sentido, as chapecoenses, para fecharem a campanha com chave de ouro, voltaram para a casa com o troféu de Fair Play na bagagem.

No decorrer do campeonato, dos seis jogos que disputou, a UnoChapecó recebeu apenas um cartão amarelo, dado a Tampa, e nenhum vermelho. Faltas coletivas também foram poucas, apenas vinte.

Imprensa da Confederação Brasileira de Futebol de Salão
-- 
FarolCom | Coletivo de Imprensa
rede web de informação e cultura